quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Navios



Reparei que os Xutos se referem inúmeras vezes ao mar e a barcos.
Não sei o porquê.
Um dia saberei.
Quando os conhecer.


"Sozinho na noite
um barco ruma para onde vai.
Uma luz no escuro brilha a direito
ofusca as demais." (Homem do Leme)

"Um homem trabalha
Do outro lado do rio
Com as suas duas maos
Repara o navio." (Negras como a noite)

"O estranho brilho da areia molhada
Mergulho verde nas ondas do mar." (1º de Agosto)

"Fazer-me ao mar, num dia negro
Vou embarcar, num barco grego." (Barcos Gregos)

"E quando eu apanhar finalmente
O barco para a outra margem." (Longa se Torna a Espera)

2 comentários:

Anónimo disse...

Nunca tinha reparado.

É bem verdade!

Anónimo disse...

Tens bom ouvido!